O estupro não choca? por Débora Diniz

Saúde Global

saugeglobal.jpeg

A matéria faz uma comparação inicial entre uma obra de ficção e a realidade, chamando a atenção para um caso chocante de estupro de vulnerável – uma criança de apenas 11 anos -, que só foi notado quando a menina estava na 25ª semana de gravidez. A autora, Débora Diniz, nos convida a questionar sobre a ausência do direito ao aborto e a presença da maternidade compulsória desde a infância.

Enviado por Camila Sousa

https://www.cartacapital.com.br/sociedade/o-estupro-nao-choca

Ver o post original

A Anagrama, nos Olivais

Courelas

francisco naia

25 anos depois voltei a viver no “bairro” (de facto, na freguesia) onde cresci, os Olivais. Que era zona até limítrofe de Lisboa quando foi construído nos anos 1960s mas que é agora, e desde há décadas, sociologicamente central na cidade, ladeando o aeroporto, incrustada entre Alvalade, Lumiar e a mais recente Parque das Nações, integrando esta expansão para oriente da malha urbana que extravasa os puros limites concelhios. É uma grande freguesia, mais de 30 mil habitantes, mais de 40 mil eleitores.

Neste  meu regresso tive duas impressões sobre o “bairro”, que talvez sejam mesmo só isso, impressões. O envelhecimento da população. E o empobrecimento. Por um lado porque os velhos de agora são os “novos pobres”, neste gradual apertão sobre as reformas. Mas também porque tendo sido os Olivais um projecto urbanístico de mescla sociológica as novas gerações dos segmentos de classe média aqui residentes partiram para outras áreas enquanto…

Ver o post original 522 mais palavras

Pagar para Trabalhar

Raquel Varela

Nunca a expressão “Pagar para Trabalhar” foi tão levada à letra. O Governo anunciou que crescem os desempregados que usam o subsídio de desemprego para criar o seu emprego. A fotografia, no DN, vem com duas desempregados, sorridentes. Ora, a questão é de uma enorme gravidade. Explico em poucos minutos. O subsídio de desemprego não é uma dádiva do Estado, como o RSI ou outro apoio assistencialista. O subsídio é uma parte do salário que os trabalhadores entregam ao Estado para ver devolvido em situações de desemprego. Não tem origem em impostos, significa que são directamente os trabalhadores que pagam para trabalhar às empresas quando o usam. O subsídio de desemprego foi criado em Portugal nas obras públicas a seguir à crise de 29 – em 1932 e 1934, para uma franja de trabalhadores sazonais, urbanos que iam cair na indigência. Mesmo assim – correctamente – os anarco sindicalistas foram…

Ver o post original 176 mais palavras

Ce que les « Monsanto Papers » révèlent du Roundup, de Stéphane Foucart

Saúde Global

Le Monde –  La justice américaine a déclassifié des correspondances internes de la firme.

Rarement hasard du calendrier aura été plus embarrassant pour une agence d’expertise. Dans le cadre d’une action intentée contre Monsanto, la justice fédérale américaine a déclassifié, jeudi 16 mars, plus de 250 pages de correspondance interne de la firme agrochimique, montrant que cette dernière s’inquiétait sérieusement, dès 1999, du potentiel mutagène du glyphosate, principe actif de son produit phare, le Roundup, et molécule phytosanitaire la plus utilisée au monde.

Or le 15 mars, à la veille de la publication de cette documentation confidentielle, l’Agence européenne des produits chimiques (ECHA) annonçait qu’elle ne considérait le glyphosate ni comme cancérogène ni même mutagène – c’est-à-dire capable d’engendrer des mutations génétiques.

Pour Monsanto, l’affaire est cruciale : le Roundup est la pierre angulaire de son modèle économique, fondé sur la vente liée de ce pesticide et des cultures transgéniques capables de le tolérer.

Ces documents…

Ver o post original 996 mais palavras

Jaime Nogueira Pinto e o Sentido das Proporções

Raquel Varela

Sobre a FCSH, minha Faculdade. Esta semana começa uma greve mundial, 3 horas na Europa, 1 em todo o mundo, contra o despedimento dos estivadores espanhóis. Na Suécia param em solidariedade com os de Espanha; na Nicarágua, na Austrália – em Lisboa contentores desviados de Espanha não serão descarregados. O sindicato já o disse, custe o que custar. Uma maré de mulheres saiu à rua em Espanha, com os filhos, e disse Nem Um Passo Atrás – não vai haver despedimentos.
Na mesma semana, uma greve internacional de mulheres ocorreu ontem pela primeira vez na história da humanidade, não foi um simples dia da mulher, partiu a ideia da Polónia e da Argentina e contagiou-se aos EUA – Angela Davis, a histórica líder do movimento dos direitos civis dos EUA, apelou a esta greve. A extrema direita é um surpresa crescente na Holanda que vai a votos dia 15 de…

Ver o post original 371 mais palavras

Resistência contra a gentrificação

Amanhã, Sábado, irá ocorrer no bairro de Poble Sec uma manifestação contra o aumento das rendas que está a transformar mais um antigo bairro popular num negócio imobiliário, ao serviço da especulação e do turismo. Deixo-vos um excerto do apelo dos organizadores da manifestação [tradução minha]: “No bairro de Poble-sec, as rendas não param de […]

via Resistência em Barcelona ao aumento da especulação, do turismo e da exclusão — L´obéissance est morte