A ditadura fiscal: da Babilónia à e-factura

Raquel Varela

A própria palavra imposto é cheia  de significado: é algo imposto por alguém a outrem.

Um dos exemplos mais antigos conhecidos de tributação é o do império persa (aqueménida) de Ciro, o Grande, e Dario. Por volta de 500 a.C., quem pagava impostos no império persa eram os povos submetidos, por exemplo os Babilónios ou os Egípcios. Os Persas estavam isentos.

No império romano, as despesas públicas eram frequentemente assumidas por privados, os mecenas. Estes, por sua vez, acumulavam as suas fortunas através da atribuição de cargos públicos, como os de governadores de províncias, onde podiam surripiar mais ou menos à vontade.

Na Idade Média, aquilo que hoje equivaleria à cobrança de impostos era o que se pode ver nalgumas versões da história do Robin dos Bosques: bandidos armados, a soldo de bandidos mais poderosos (os senhores de castelos), invadiam as aldeias e rapinavam o que podiam: galinhas, cereais, porcos…

Ver o post original 554 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s