Marcelo, o candidato do Bloco Central

Raquel Varela

E se Marcelo fosse candidato de uma parte do PS? Daquele pedaço que define aquilo que realmente conta num partido como o PS? Se o determinismo soviético apoiava-se nas grandes narrativas sem sujeitos/liberdades individuais, ao mesmo tempo que promovia um culto monárquico dos líderes, a comunicação social hoje concorre, com menos mau gosto que as estátuas de Estaline, é certo, para esta tese de que o indivíduo é tudo, a classe social nada, nem existe essa coisa «das classes sociais». Ignora classes sociais e os seus interesses, que não são só definidos pelo dinheiro, claro, isso é sociologia de pacotilha. Classes existem, e cada vez mais definidas com a massiva proletarização dos sectores médios que caíram vários andares na escala social. Classes distinguem-se pelos rendimentos (salário, renda, juro, lucro) mas também pelo território, cultura, espectativas, origem familiar, e outros factores. Ninguém concorre a presidente da República para se representar a…

Ver o post original 421 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s