Árvore das Memórias IV

Realizou-se no dia 24 de Fevereiro a 4ª sessão de Árvore das Memórias: Lugares e Saberes do Sul, no Liceu Camões em Lisboa.

Realizou-se com cerca de 50 alunos do 12º ano, pertencentes a duas turmas da área das humanidades. Após o aquecimento, diversos temas foram surgindo acabando o grupo por se centrar na questão da aventura e segurança. Tendo a aventura como tema formaram-se 7 grupos de trabalho que se organizaram para construir uma narrativa.

O primeiro grupo, aventuras encenou uma deambulação por vários sítio ao acaso, acabando por chegar ao Canadá onde se sentaram a pescar.

O grupo da surpresa, que pretendia não fazer nada, dramatizou uma saída do aeroporto e acabaram a discutir o que é que é uma aventura.

O grupo do submarino amarelo, organizaram-se em volta dum tapete mágico e guiados pela capitão Haddock voaram até à procura da Atlântida e dum submarino amarelo do Portas.

O grupo das viagens optou por viajar até ao planeta X e mostraram o modo como enfrentaram o medo.

O grupo “com elas” nadaram como os tubarões, enquanto o sétimo grupo perderam-se numa montanha e foram atacados por lobos, tendo que superar os seus medos. todos procuraram aventuras com segurança. Um último grupo, constituído pelos atrasados e que não queria fazer nada, acabaram por tomar consciência de que não fazer nada é fazer alguma coisa.

Nos comentários finais falaram da importância da espontaneidade, da enfrentar novas experiências, da importância do brincar ao faz de conta, da relevância da imaginação.

A neurociência social mostra que a ligação entre todos está também influenciada pelos tempos da escola. Quando no andar de cima as cadeira começam a arrastar, gera-se o movimento de aproximação do intervalo.

Anúncios

O que precisa ser incorporado ao processo de educação

Leonardo Boff

Geralmente o processo educativo da sociedade com suas instituições como a rede de escolas e de universidades estão sempre atrasadas em relação às mudanças que acontecem. Não antecipam eventuais processos e custam-lhes fazer as mudanças necessárias para estar à altura deles.

Entre outras, duas são as grandes mudanças que estão ocorrendo na Terra: a introdução da comunicação global via internet e redes sociais e a grande crise ecológica que põe em risco o sistema-vida e o sistema-Terra. Podemos eventualmente desaparecer da face da Terra. Para impedir esse apocalipse a educação deve ser outra, diversa daquela que dominou até agora.

Não basta o conhecimento. Precisamos de consciência: uma nova mente e um novo coração. Precisamos também de uma nova prática. Urge nos reiventar como humanos, no sentido de inaugurar uma nova forma de habitar o planeta com outro tipo de civilização. Como dizia muito bem Hannah Arendt:”podemos nos informar a vida…

Ver o post original 558 mais palavras